Em Carta Aberta, Denis Villeneuve Critica Decisão da Warner Em Fazer Lançamentos Simultâneos no HBO Max

Imagem de referência
Foto de Pedro SousaPostado por Pedro Sousa em 11/12/2020 16:34:09

Em uma carta aberta, publicada pela Variety, o diretor Denis Villeneuve, criticou duramente a decisão dos estúdios da Warner de lançar, ao mesmo tempo, todo seu catálogo de 2021 nos cinemas e na plataforma de streaming HBO Max

Abaixo o texto integral da carta, cujo texto original se encontra no site supracitado. 

Soube pelo noticiário que a Warner Bros. decidiu lançar “Dune” na HBO Max, ao mesmo tempo, que o lançará no cinema, usando imagens proeminentes de nosso filme para promover o serviço de streaming. Com esta decisão, a AT&T sequestrou um dos estúdios mais respeitáveis ​​e importantes da história do cinema. Não há absolutamente nenhum amor pelo cinema, nem pelo público aqui. É tudo sobre a sobrevivência de um mamute das telecomunicações, que atualmente tem uma dívida astronômica de mais de US $ 150 bilhões. Portanto, embora “Dune” seja sobre cinema e público, a AT&T trata de sua própria sobrevivência em Wall Street. Com o lançamento da HBO Max sendo um fracasso até agora, a AT&T decidiu sacrificar toda a agenda de 2021 da Warner Bros. em uma tentativa desesperada de chamar a atenção do público.

A súbita reversão da Warner Bros., de ser uma casa de legado para cineastas da nova era, para uma total desconsideração traça uma linha bem clara, para mim. A produção de filmes é uma colaboração, que depende da confiança mútua no trabalho em equipe e a Warner Bros. declarou que eles não estão mais na mesma equipe

Os serviços de streaming são uma adição positiva e poderosa aos ecossistemas de filmes e TV. Mas eu quero que o público entenda que o streaming, por si só, não pode sustentar a indústria cinematográfica como a conhecíamos antes do COVID-19. O streaming pode produzir ótimo conteúdo, mas não filmes do escopo e da escala de "Dune". A decisão da Warner Bros., significa que "Dune" não terá a chance de ter um desempenho financeiro para ser viável e a pirataria acabará triunfando. A Warner Bros. pode, apenas, ter matado a franquia “Dune”. Esta é para os fãs [grifo do autor]. John Stankey, da AT&T, disse que o cavalo do streaming saiu do celeiro. Na verdade, o cavalo saiu do celeiro direto para o matadouro.

A segurança pública vem em primeiro lugar. Ninguém discute isso. É por esse motivo que, quando ficou claro que o inverno traria uma segunda onda da pandemia, entendi e apoiei a decisão de atrasar o lançamento de "Dune" em quase um ano. O plano era que “Dune” estrearia nos cinemas em outubro de 2021, quando as vacinas estariam avançadas e, com sorte, o vírus estaria acabado. A ciência nos diz que tudo deve voltar ao normal no próximo outono.

“Dune” é, de longe, o melhor filme que já fiz. Minha equipe e eu dedicamos mais de três anos de nossas vidas para torná-la uma experiência única nas telonas. A imagem e o som do nosso filme foram meticulosamente projetados para serem vistos nos cinemas.

Estou falando em meu próprio nome, embora seja solidário com os dezesseis outros cineastas que agora enfrentam o mesmo destino. Saibam que estou com vocês e que juntos somos fortes. Os artistas são aqueles que criam filmes e séries.

Acredito fortemente que o futuro do cinema estará nas grandes telas, não importando o que diga qualquer diletante de Wall Street. Desde o início dos tempos, os humanos precisam, profundamente, das experiências de contar histórias em comum. O cinema nas telas grandes é mais do que um negócio, é uma forma de arte que une as pessoas, celebrando a humanidade, aumentando nossa empatia uns pelos outros - é uma das últimas experiências artísticas e coletivas que compartilhamos como seres humanos.

Uma vez que a pandemia acabe, os cinemas estarão cheios novamente com amantes da 7ª arte.

Essa é minha crença. Não porque a indústria do cinema precise, mas porque nós, humanos, precisamos do cinema, como uma experiência coletiva

Portanto, assim como tenho uma responsabilidade fiduciária e criativa a cumprir como cineasta, peço à AT&T que aja rapidamente com a mesma responsabilidade, respeito e consideração para proteger esse meio cultural vital. O impacto econômico para as partes interessadas é apenas um aspecto da responsabilidade social corporativa. Encontrar maneiras de melhorar a cultura é outra. A experiência de ir ao cinema é como nenhuma outra. Nesses cinemas escurecidos, os filmes capturam nossa história, nos educam, alimentam nossa imaginação, elevam e inspiram nosso espírito coletivo. É nosso legado.

Vida longa aos cinemas!

— Denis Villeneuve

O que achou? Comente!